domingo, 24 de abril de 2011

POEMA













como apareces, planície
entre o linho e o azul deserto
a praia se abre em palácio
na glória de tuas sedas
no teu sorriso de ledas
e severidades deusas
nos olhos de mil portas
(mas apenas te vi: na verdade
eras efemeridade)

Rogel Samuel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

RETRATO DO VIRTUOSE

RETRATO DO VIRTUOSE OTTO MARIA CARPEAUX Os grandes violinistas, quando chamados pelo público depois do fim do concerto, deixam-se ain...